10/04/2009

Uma Lenda



uma lenda, rendilhada nos mais cristalinos pontos,
em sedas mãos,
nós sombras.
as palavras assustam demasiado para
serem usadas na sua torrente natural.
Surges ,
com passos de menina, os sonhos arrumados, guiando me
nos corredores finitos. recolho me como um poente
no bater do teu peito,
desfolho a chuva , para ti, sombra triunfal e sublime.
um dia as sombras,
nas asas do mais róseo flamingo,
tocaram se , e foram,
numa via inseparável, infinita,
uma só sombra.