27/11/2007

ERA uma vez … um SISTEMA de produção...



Ir por aí como quem calcorreia por sobre a epiderme, em empedrados de linhas geométricas , num basáltico misto calcáreo , que as mãos calejadas suaram. Suor do trabalho , caralho , ao civismo polifodido , sim , sim , esse mesmo que planta estátuas de ferro atadas a pés. São laços de veludo é verdade, mas apertam sempre mais, mais , não há resistência mais resistente.
Contente manténs te firme e rocheo nesse teu, vai e não vem, deambulante como sonâmbulo do próprio sono.
Buscas sempre um metro mais à frente, o que te perdeu, o encontrado momento passado.
Ufanas glórias a ti próprio, palitas dos dentes os restos carnais do talho da vida, carniceiro profissional bem sucedido , os extractos o demonstram.
Defecas trâmites , normaputaleias , vais de vento em popa, sentes-te bem, intestinalmente desempenhas tua função com os primórdios da sapiência , obras bem , munido das toxinas carnais e de uma sofisticada essência enganadora ,comprada aos fazedores de cheiros por grosso dinheiro.
Como único fazedor de merda , monopolizas o mercado , estabeleces parâmetros , com uma requintada bebida forte em mãos e com o teu poder chafurdas na tua própria produção.
A clientela é vasta e basta , chafurdear a trampa foi-lhes estabelecido por seus próprios anseios e meios.
Este Tempo vem te falando, já de dedo em riste; o teu sistema de produção liberta gases letais e de odores nauseabundos, ameaças já seriamente o meio envolvente, provocas desequilíbrios ecológicos , assim com os poderes que nos assistem condenamos-te ao entupimento total.
Nós Conselho do Nada Intergaláctico possuímos o excelso vedante anal, conseguimo-lo após árduas pesquisas, e decretamos a execução imediata da sua implantação.
E assim e após retirada do Conselho, as Guardiãs do Templo, implantaram o vedante anal no produtor de merda. Por segurança as Guardiães remeteram-no a ele o produtor de merda ao vácuo sabendo da sua certa implosão, garantindo ás juventudes vindouras um ar mais cheiroso… respirável…

1 comentário:

Rê Piza disse...

Nossa, estou impressionada com a força dos teus textos. São muito bons e, do que li até agora, "Omniausente" foi meu preferido. Bom descobrir teu blog, voltarei sempre!
um beijo!