09/01/2007

TRINTIUM DE BOCA

MÚSICA a/o Amante
....Sons? Escuta! Algures ergue-se
Suavemente a fricção de uma corda,
Tem presente um amor,
Compara-se a uma terna amiga.
Em silêncio, como se fosse um ladrão,
Avança vinda da noite,
Estimula ao de leve o meu ouvido,
Saúda-me interrogativa e furtiva.
Ergue-se então, intumescente,
Cresce por uma fricção mais intensa.
Estremece, embalada na vibração,
Quer penetrar-me o fundo da alma...
( Hermann Hesse)


SORRI MEU AVILO

Tremi: ela, a leve pétrea mafumeira, me olhava de lá. Bela, assim tal-igual: olhava. Olhava - como quandocego cafofo nos vê nos olhos e a gente não sabemos ele está vendo o que o próprio nunca pode ver: os fundos do de dentro de cadaqual. Copa de ninhos , os ramos quietos.Creia: a gente, junto com os paus, somos ainda foscas naturezas. Se nem temos raízes, tudo só pó de rosas dos ventos... O que bem ouvistas as coisas, pode nascer o seguinte já-agora:o que é que o irmão não sabe do que sabe?


( Luandino Vieira)


KIMBUNDU / PORTUGUÊS

Ngana iami ua-ngi-ambela Kiki:
Ndé mu ' Alunga ua sumbe o mbirikitu
Ngai mu ' Alunga, o kindumbu ki-ngi-futami inama...
O meu senhor disse-me assim:
Vai ao mar ( morte) comprar um cobertor ordinário
Fui ao mar (morte) o cobertor não me tapa as pernas...


































Sem comentários: