15/01/2007

KWATA KU MUXIMA e SABER VENDIDO






Kwata ku muxima *

...notam com apreensão que a exibição no Lobito, Benguela pela ONG Okutiuka de um documentário que conforma um exercício de educação cívica tivesse sido arbitrariamente proibida pela polícia local. Para a HRW não é muito claro também se o governo de...

...a HRW reprova a prisão a que esteve sujeito durante cerca de um mês, Raul Danda, porta-voz da ilegalizada Associação Cívica de Cabinda, Mpalabanda...
Human Rights Watch


…Amnesty International today released a report revealing the scale and extent of forced evictions in Angola, and expressing particular concern at forced evictions carried out by Angolan authorities, apparently at the request of the Catholic Church in Angola. The organization said that nearly all of the forced evictions were accompanied by excessive use of force, which sometimes involved police beatings of children and women -- including one pregnant woman -- and indiscriminate shooting at residents attempting to protect their homes…



....ao cabo de 30 anos de independência, Angola possui apenas um diário, o «Jornal de Angola». A imprensa privada reduz-se a pouco mais de seis semanários, sem grande capacidade de penetração no mercado e sem rede de distribuição adequada. As ondas da rádio são dominadas pela Rádio Nacional de Angola. À excepção da Ecclésia, da Igreja Católica, as outras quatro estações de rádio privadas, a transmitir em FM, têm linhas editoriais erráticas e pouca consistência. E a única televisão do país, a TPA (Televisão Pública de Angola), moderna em termos técnicos e em rede nacional, é todavia arcaica em termos de grelha ou produção de programas e informação...
ExpressoÁfrika

*expressão em kimbundu: tem coragem

SABER VENDIDO

A hipótese fundamental de Lyotard é a de que o estatuto de saber mudou a partir dos anos 50-60 do século XX. Anteriormente ele deveria fazer parte da formação espiritual de todo e qualquer indivíduo para que chegasse à condição de cidadão participante. Para isso , o indivíduo tinha de se entregar, desde a mais tenra idade , a um lento e gradativo processo de interiorização do saber, tanto de um saber universal e multidisciplinar básico quanto de um saber disciplinar e superior. A escola e os professores, donos de uma informação completa de saber, eram os principais responsáveis por esse trabalho com os alunos que , por definição tinham informações imcompletas. O desnível justificava a autoridade do professor e a obediência do discípulo.Nos países "desenvolvidos", com o aprimoramento dos sectores e a consequente informatização de todas as instituições de ensino, o saber passa mais e mais a viver a condição de uma "explosiva exteriorização". Ele é também mais e mais abundante quanto é mais e mais acessível tanto aos professores quanto aos alunos. Não havendo mais desnível entre professor e aluno em quantidade de informação, o desnível ocorre apenas no modo como a informação é utilizada. Portanto a pedagogia na sociedade pós-moderna não desaparece; mudam-se os seus métodos. O saber perde então a sua condição de "valor uso", passando a ser avaliado como algo que existe para ser vendido e que também existe para ser consumido com vistas a uma nova produção.Nota:O consumismo não tem nada a haver com "professores" e "alunos" sendo um mero " valor de troca"; digo/pergunto eu...?

Sem comentários: