28/01/2007

CONVICÇÕES

A prática de esconder a sua sabedoria de modo a
parecer um ser normal aos olhos dos outros, era feito
deliberadamente pelos antigos taoistas e budistas
depois de alcançar a iluminação, convictos de que
assim poderiam alcançar níveis mais elevados de
subtileza do que se deixassem admirar pelo seu
conhecimento.






Admirado e reconhecido pelo seu conhecimento, o ser humano moderno, apoiado e incentivado pelos poderosos mídia, na companhia do "sucesso" alcançado, torna-se convicto que assim disfarçará as
suas frágeis imperfeições, e aos olhos dos outros,
assume-se como iluminado, divulgando até à exaustão
essa condição.

Sem comentários: